Cases

Fale com a Transpes

Projeto Intercarrier / MRS

Descrição:

DATA:
06 de Setembro de 2016 (início do carregamento)

CARGA:
Locomotivas

EQUIPAMENTO:
Cavalos mecânicos 8x4 – Volvo FH 750 + linhas de 16 eixos

CLIENTE:
Intercarrier Transporte Internacional / MRS

TRAJETO:
Belo Horizonte-MG – São Luís-MA

20160913 092921 1

Desafio e Solução:

Seis locomotivas de 163 toneladas cada uma, 3 mil quilômetros percorridos em quatro estados, durante 30 dias, e 33 profissionais envolvidos na operação. Os números impressionantes resumem o transporte da carga enviada pela Intercarrier Transporte Internacional (representante da MRS Logística), de Belo Horizonte-MG, para a Transnordestina Logística, localizada em São Luís, no Maranhão. Para cumprir o percurso, que passou por Minas Gerais, Goiás, Tocantins e chegou ao Maranhão, a Transpes utilizou um cavalo mecânico 8x4 Volvo FH 750 e uma linha de 16 eixos, para cada locomotiva transportada. Com o total de 17,32 metros de comprimento, três de largura e 4,64 de altura, a carga foi embarcada próximo à sede da MRS, no bairro Horto, na capital mineira. Para cada unidade, foi necessário um dia inteiro de trabalho, totalizando seis dias de carregamento. O embarque, no dia 6 de Setembro de 2016, deu início aos desafios que só terminariam 30 dias depois, na capital maranhense. Fiações e pontes foram as principais barreiras encontradas ao longo do caminho, já que os conjuntos carregados totalizaram 5,65 metros de altura. Entre os municípios mineiros de Pedro Leopoldo e Sete Lagoas, a fiação, a 5 metros de altura, exigiu a mobilização de diversas empresas – entre elas companhias elétricas e operadoras de telefonia e TV ¬– para permitir a travessia da carga com segurança. Em Três Marias, ainda em Minas, um viaduto a 5,50 metros de altura demandou novas providências da companhia. Dessa vez, os sistemas hidráulicos que equipam as linhas de eixo e que permitem que elas sejam rebaixadas foi o que permitiu que os conjuntos seguissem viagem. O mesmo não foi possível em Cristalina-GO, onde outro viaduto, a apenas 5,40 metros de altura, fez com que novas alternativas de travessia fossem criadas. Neste caso, foi necessário entrar na BR-050, antes do viaduto, atravessar a pista e acessar a BR-040 pela alça da contramão de direção, retornando novamente à mão de direção. Toda a operação foi acompanhada de perto pelos 8 batedores que seguiram com a frota durante todo o percurso, além de autoridades locais. Diariamente, a equipe da Tranpes fornecia boletins atualizados à Intercarrier Transporte Internacional e à Transnordestina Logística, sobre a localização das locomotivas. Com informações precisas e projeções bem definidas da chegada da carga, foi possível deixar o grupo de profissionais a postos para o descarregamento e posicionamento das locomotivas na linha férrea, em São Luís. No destino, foram necessários mais seis dias para desembarque de todas as unidades. Do total de profissionais envolvidos, 23 foram da área de execução e 10 de planejamento. Motoristas, operadores de eixo, batedores, operador de guindaste e munck, executivos comerciais, gerentes de içamento e operações e engenheiro de planejamento, entre outros profissionais, garantiram a conclusão do projeto grandioso de forma segura e bem-sucedida.

    • 20160913 092921 1
    • 20160911 061436 1
    • 20160913 130454 1
    • 20161028 154303
    • 20161030 090949
    • 20161103 182357